São Paulo, 25 de Abril de 2017

/ Finanças

Índice de cheques devolvidos é o pior em seis anos
Imprimir

Levantamento da Boa Vista SCPC mostra que os calotes com este meio de pagamento cresceram no primeiro trimestre deste ano

Os calotes por meio de cheques sem fundos são os mais elevados para um trimestre desde 2009, segundo levantamento da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). 

O número de cheques devolvidos por falta de fundos como proporção ao total de cheques movimentados atingiu 2,15% no primeiro trimestre de 2015. Em 2009, o indicador havia subido 2,31%.

No acumulado dos três primeiros meses deste ano, a movimentação de cheques caiu significativamente. Comparando o primeiro trimestre deste ano com o mesmo período do ano passado, os cheques movimentados diminuíram 11%. 

Na mesma base de comparação, o total de cheques devolvidos recuou 7,1%. Separando os cheques devolvidos de pessoas físicas e jurídicas, a devolução foi 8,9% menor para as pessoas físicas e 2,1% inferior para as pessoas jurídicas.

Observando o resultado de março, o percentual de cheques devolvidos sobre os movimentados sofreu forte alta. O dado chegou a 2,27%, ante o resultado de 2,15% de fevereiro de 2015. 

O indicador também foi maior na comparação com março de 2014, quando havia registrado 2,16%.

O Indicador de Cheques Devolvidos da Boa Vista SCPC é a proporção de cheques devolvidos pela segunda vez por insuficiência de fundos sobre o total de cheques movimentados.



A elevação registrada deriva do crescimento de 4,2% da demanda por crédito em instituições financeiras e de 1,0% no segmento não financeiro, de acordo com a Boa Vista SCPC

comentários

Na comparação com fevereiro, o volume subiu 2,06%, de acordo com a Boa Vista

comentários

Para o Ibre/FGV, melhora de índices aponta inversão próxima do quadro recessivo, ainda que de forma gradual

comentários