São Paulo, 21 de Julho de 2017

/ Finanças

Cresce inadimplência nas universidades
Imprimir

9% das mensalidades atrasaram mais de 90 dias em 2016, o maior percentual desde 2010. O desemprego é um dos responsáveis pela alta

A inadimplência no ensino superior privado apresentou nova alta em 2016. No ano passado, 9% das mensalidades foram pagas com atrasos de mais de 90 dias no país. 

Esse é o maior valor desde 2010, quando a inadimplência atingiu 9,6%. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira, 22/06, pelo Sindicato das Mantenedoras de Ensino Superior (Semesp).

Em 2015, o índice de inadimplência do setor foi de 8,8%. Segundo a Semesp, uma das explicações para a alta é a crise econômica e política que o país enfrenta. 

LEIA MAIS: Crise interrompe sonho dos universitários da nova classe média

“Às vezes, é a família que banca a mensalidade, e aí se um membro da família perde o emprego, diminui a renda e começa a apertar para pagar a mensalidade”, diz o diretor executivo da entidade, Rodrigo Capelato.

A redução do número de novos contratos do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) também é apontada como causa para o aumento da inadimplência. 

Segundo a Semesp, entre 2014 e 2016, o número de estudantes que ingressaram no ensino superior com o Fies caiu de 730 mil para 200 mil. 

“Isso significa que entrou muito menos gente com financiamento e tendo que arcar com pelo menos uma parte da mensalidade”, explica Capelato.

A pesquisa também apontou que as instituições de pequeno porte (com até 2 mil alunos) são as que menos sofreram com a inadimplência de até 30 dias, mas foram as que registraram maior crescimento na taxa de inadimplência em mensalidades com mais de 90 dias de atraso. 

Já as instituições de médio porte (de 2 mil a 7 mil alunos) apresentaram as menores taxas para atrasos acima de 90 dias desde o início da pesquisa, em 2006.

As projeções do Semesp apontam que em 2017 a inadimplência deverá ficar em torno de 9,2%. 

Capelato diz que a inadimplência deve começar a cair a partir do segundo semestre do ano que vem por conta de uma possível recuperação da economia e também pela iniciativa de algumas faculdades de oferecer parcelamento das mensalidades.

IMAGEM: Thinkstock



Levantamento da Boa Vista SCPC mostra que 62% dos inadimplentes comprometem mais da metade da renda mensal para quitar as dívidas

comentários

Aumento da inadimplência (contas em atraso por mais de três meses), atinge um contingente de 61 milhões de brasileiros, metade da população economicamente ativa

comentários

Secretaria da Fazenda de São Paulo vai classificar contribuintes com notas de risco. Os melhores posicionados terão tratamento diferenciado

comentários