São Paulo, 25 de Setembro de 2016

/ Finanças

Como melhorar suas chances de conseguir crédito?
Imprimir

Saiba quais são os principais cuidados que você deve tomar na hora de contratar financiamento para sua empresa

Em tempos de crédito caro e escasso, todas as energias devem estar concentradas na melhora do seu perfil de crédito. "Há muitas coisas que dependem mais do empresário que do cenário propriamente", diz o consultor financeiro do Sebrae, João Carlos Natal. Veja quais são os principais pontos de atenção na hora de contratar crédito para sua empresa.


Antes de correr para o banco para pedir um financiamento, saia em busca de instituições de microcrédito. Instituições como o Banco do Povo Paulista ou cooperativas de crédito podem ajudar - e muito - na hora de conseguir melhores condições.  


Não basta uma empresa livre de dívidas. É necessário que seus sócios também não tenham nenhum tipo de restrição ao crédito para que a negociação saia da melhor forma possível. "Os bancos sabem de tudo, olhar o CPF dos sócios é a primeira coisa que fazem antes de conceder crédito", diz Natal.


Uma das principais limitações ao crédito é a falta de garantias reais. Liste todo o patrimônio da sua empresa - até a maquininha de cartão pode servir de garantia para instituições financeiras.


Ter uma conta da sua empresa no banco ajudará a instituição a analisar suas receitas e melhorar a oferta de crédito. "Para a análise do seu perfil, você ganha vantagens se tiver vínculos sólidos com o mundo financeiro", aponta o consultor. "Uma conta de 6 meses é diferente de uma conta de um ano, e por aí vai."


Tenha controle financeiro da sua empresa, mostre que você sabe exatamente para onde está indo o dinheiro e planeje como vai recebê-lo.



Menos de um quarto delas no Estado de São Paulo conseguiu levantar financiamentos em bancos no mês passado, segundo o Sindicato da Micro e Pequena Indústria

comentários

Inflação menor em setembro, declarações do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e contratos no mercado futuro reforçam a expectativa de queda do juro

comentários

"Eu preferia o Ilan (Goldfajn) do Banco Itaú, que dizia que isso podia ser feito, ao presidente do Banco Central que de repente deu uma endurecida desnecessária", disse o economista José Roberto Mendonça de Barros

comentários