Retirada de dólares do País supera o ingresso da moeda em julho


De acordo com o BC, esse foi o segundo mês consecutivo em que a economia brasileira perdeu recursos. Fluxo cambial ficou negativo em US$ 2,647 bilhões, no mês passado


  Por Agência Brasil 09 de Agosto de 2017 às 13:34

  | Agência de notícias da Empresa Brasileira de Comunicação.


Mais dólares saíram do país do que entraram em julho. De acordo com dados do Banco Central (BC), divulgados nesta quarta-feira (09/08), o fluxo cambial ficou negativo em US$ 2,647 bilhões, no mês passado.

Nos quatro primeiros dias deste mês, o saldo ficou positivo em US$ 361 milhões.

Em julho, o resultado negativo veio da conta financeira (investimentos em títulos, remessas de lucros e dividendos ao exterior e investimentos estrangeiros diretos, entre outras operações), com déficit de US$ 5,707 bilhões.

O segmento comercial (operações de câmbio relacionadas a exportações e importações) contribuiu para reduzir o saldo negativo do fluxo cambial, ao registrar resultado positivo de US$ 3,060 bilhões.

De janeiro a 4 de agosto, o fluxo cambial acumula saldo positivo de US$ 5,192 bilhões, devido ao desempenho do setor comercial. Nesse período, o segmento financeiro registrou saldo negativo de US$ 30,399 bilhões e o comercial ficou positivo em US$ 35,591 bilhões.

CAPITAL ESTRANGEIRO

O Banco Central informou nesta quarta-feira (09/08), por meio de newsletter, que as empresas têm até 15 de agosto para encaminhar à instituição informações referentes ao Censo Anual de Capitais Estrangeiros no País.

De acordo com o BC, devem participar do levantamento as empresas e fundos de investimentos sediados no Brasil que possuam participação direta de não residentes no capital social, com patrimônio líquido igual ou superior ao equivalente a US$ 100 milhões em 31 de dezembro do ano passado.

Além disso, devem prestar informações as empresas com saldo devedor total de créditos comerciais de curto prazo, concedidos por não residentes em montante igual ou superior ao equivalente a US$ 10 milhões.

O objetivo do censo é mensurar o estoque de Investimento Direto no País (IDP) ao final de cada ano-base - no caso, o ano anterior ao da realização da pesquisa.

"Junto com as informações sobre os ativos externos compilados pela pesquisa de Capitais Brasileiros no Exterior (CBE), os resultados do Censo permitem auferir a Posição Internacional de Investimentos (PII), que, integrada ao Balanço de Pagamentos, constituem as estatísticas fundamentais sobre o setor externo da economia brasileira", disse Sandro Fabi, assessor no Departamento Econômico do BC.

"Adicionalmente, os dados obtidos pelo censo viabilizam a participação do país na Pesquisa Coordenada sobre Investimentos Diretos realizada anualmente pelo FMI para apurar os estoques globais de investimentos diretos, bem como sua distribuição por país investidor e por receptor."

O censo de 2015, com ano-base 2014, registrou 1.948 declarantes, sendo que o estoque declarado de IDP totalizou US$ 674,4 bilhões. Os dados referentes ao levantamento realizado no ano passado ainda estão sendo revisados.

Mais informações sobre o censo deste ano podem ser obtidas no site do BC - www.bcb.gov.br .

FOTO: Thinkstock