Economia

Projeção para IPCA sobe pela quarta semana seguida


A expectativa do mercado financeiro para a Selic ao final de 2017 e de 2018 segue em 7,50%, de acordo com boletim Focus, do Banco Central


  Por Agência Brasil 14 de Agosto de 2017 às 09:11

  | Agência de notícias da Empresa Brasileira de Comunicação.


O mercado financeiro aumentou pela quarta semana seguida a projeção para a inflação este ano, após o aumento da tributação sobre combustíveis.

Desta vez, a projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu de 3,45% para 3,5%.

A estimativa consta do boletim Focus, uma publicação divulgada no site do Banco Central (BC) todas as semanas, com projeções para os principais indicadores econômicos.

LEIA MAIS: Desequilíbrios fiscais e risco político são ameaça, diz Fraga

Para 2018, a projeção para o IPCA é mantida de 4,2%, há quatro semanas consecutivas. As estimativas para os dois anos permanecem abaixo do centro da meta de 4,5%, que deve ser perseguida pelo BC. Essa meta tem ainda um intervalo de tolerância entre 3% e 6%.

Selic

Para alcançar a meta, o BC usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 9,25% ao ano.

Quando o Copom aumenta a Selic, a meta é conter a demanda aquecida, e isso gera reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Já quando o Copom diminui os juros básicos, a tendência é que o crédito fique mais barato com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle sobre a inflação.

A expectativa do mercado financeiro para a Selic ao final de 2017 e de 2018 segue em 7,50% ao ano. A estimativa do mercado financeiro para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB, a soma de todos os bens e serviços produzidos no país), foi mantida em 0,34%, este ano, e em 2%, em 2018.

PIB

Os economistas do mercado financeiro mantiveram a projeção para a atividade em 2017 e 2018.

A expectativa de alta para o Produto Interno Bruto (PIB) deste ano seguiu em 0,34% no Relatório de Mercado Focus divulgado nesta segunda-feira, 14. Há um mês, a perspectiva estava no mesmo patamar.

Para 2018, o mercado manteve a previsão de alta do PIB, de 2%. Quatro semanas atrás, a expectativa estava no mesmo nível. Em 22 de junho, o BC informou em seu Relatório Trimestral de Inflação (RTI) a manutenção em 0,5% da estimativa para o PIB em 2017.

Já em 21 de julho foi a vez de o Ministério do Planejamento manter em 0,5% sua projeção para o PIB este ano, conforme o Relatório de Avaliação de Receitas e Despesas do 3º Bimestre.

*Com Estadão Conteúdo