São Paulo, 11 de Dezembro de 2016

/ Economia

Inflação sobe e Selic vai a 14% nas projeções do mercado
Imprimir

Analistas ouvidos pelo Banco Central para o Relatório de Mercado Focus projetam crescimento do IPCA e da Selic, além de maior retração do PIB. Queda na produção industrial se mantém

A expectativa é que o índice oficial de inflação encerre 2015 em 8,39%, contra 8,37% da semana anterior. Há um mês, essa projeção estava em 8,26%.

As expectativas para a inflação suavizada 12 meses à frente, porém, foram reduzidas e passaram de 6,02% para 5,99%. Há quatro semanas estava em 5,96%. Para maio, a mediana das previsões subiu para 0,55% e, para junho, para 0,40%, segundo o mercado

O mercado financeiro manteve suas estimativas de que a Selic avançará 0,50 ponto porcentual esta semana. Aumentou, porém, a previsão para a taxa básica no final deste ano.

No lugar da estimativa de 13,75% ao ano, que já será vista esta semana, de acordo com a Focus, no encerramento de 2015, o novo patamar da Selic será de 14% ao ano.

Há um mês, a estimativa observada no boletim era de que a Selic encerrasse 2015 em 13,50% ao ano. Com isso, a taxa média esperada para este ano passou de 13,38% ao ano para 13,50% ao ano. Quatro semanas antes, essa taxa média estava em 13,22% ao ano.

Para os economistas que mais acertam as projeções para o rumo da taxa básica de juros, o Top 5 no médio prazo, a Selic encerrará este ano em 13,75% ao ano, igual à previsão da semana anterior.

Já a expectativa mediana para o Produto Interno Bruto (PIB) de 2015 passou de uma retração de 1,24% da semana anterior para 1,27% agora. Há quatro semanas, a projeção era de recuo de 1,18% do PIB deste ano.

Para 2016, a mediana das projeções se manteve em crescimento de 1% pela sétima semana seguida. As mudanças no boletim Focus ocorreram depois que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou uma queda de 0,2% do PIB do primeiro trimestre deste ano na comparação com os últimos três meses de 2014.

Principal motor da atividade brasileira, a produção industrial deve encolher 2,80% em 2015 - mesma projeção da semana anterior. Quatro semanas atrás, a mediana das expectativas estava em 2,50%. Para 2016, as apostas de expansão para a indústria seguem em 1,50% há oito semanas consecutivas.



Quem afirma é Pedro Passos (foto), presidente do conselho da Natura. Em evento, ele defendeu a simplificação tributária e a reforma trabalhista

comentários

Redução maior foi discutida na reunião do Copom, mas ainda depende da queda na resistência de alguns componentes do índice de preços, segundo Ilan Goldfajn, presidente do BC

comentários

Em relação ao Regime Próprio de Previdência, que paga as aposentadorias dos servidores públicos, excedente será de cerca de R$ 60 bilhões em 10 anos

comentários