São Paulo, 26 de Fevereiro de 2017

/ Economia

Inflação medida pelo IPCA encerra o ano em 6,29%
Imprimir

O resultado está dentro do teto da meta de tolerância estipulada pelo governo, de 6,5%. Em dezembro, a alta foi de 0,30%

A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechou dezembro com alta de 0,30%, informou nesta quarta-feira (11/01) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

É o menor patamar para o mês desde 2008, quando teve alta de 0,28%. A inflação registrada no mês de dezembro de 2015 tinha sido de 0,96%.

O resultado ficou dentro do intervalo das estimativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que iam de uma taxa de 0,28% a 0,44%, com mediana de 0,35%.

A taxa acumulada pela inflação no ano de 2016 foi de 6,29%, resultado dentro do teto da meta de tolerância estipulada pelo governo, de 6,5%. As previsões iam de 6,26% a 6,40%, com mediana de 6,34%.

ALIMENTAÇÃO

Os alimentos voltaram a ficar mais caros no último mês do ano, após um período de trégua. O grupo Alimentação e bebidas teve alta de 0,08% em dezembro, ante recuo de 0,20% em novembro, segundo os dados do IPCA.

O movimento significa uma reversão na trajetória de contribuição do grupo para a taxa de inflação: de -0,05 ponto porcentual em novembro para 0,02 ponto porcentual em dezembro.

"Se olharmos em termos de contribuição e novembro para dezembro, dá um aumento de 0,07 ponto porcentual. Então alimentação puxou bem (o IPCA de dezembro)", avaliou Eulina Nunes dos Santos, coordenadora de Índices de Preços do IBGE.

A alimentação consumida em casa saiu de queda de 0,47% em novembro para recuo de 0,05% em dezembro. Ainda ficaram mais baratos no último mês itens como feijão-carioca (-13,77%) e leite longa vida (-3,97%). Entretanto, outros produtos importantes no orçamento das famílias tiveram aumento, como o arroz (0,21%), as carnes (0,77%) e as frutas (3,39%).

Em dezembro, a alimentação fora de casa manteve a mesma taxa de novembro, alta de 0,33%.

PREÇOS AO CONSUMIDOR

Segundo dados do IBGE, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) subiu 0,14% em dezembro, após ter registrado alta de 0,07% em novembro. 

Como resultado, o índice encerrou o ano de 2016 com uma elevação acumulada de 6,58%. O INPC mede a variação dos preços para as famílias com renda de um a cinco salários mínimos e chefiadas por assalariados.

Já o Índice Nacional da Construção Civil (INCC/Sinapi), variou 0,49% em dezembro, após uma alta de 0,10% em novembro, disse o IBGE. O índice acumulado no ano de 2016 foi de 6,64%.

De acordo com o instituto o custo nacional da construção alcançou R$ 1.027,30 por metro quadrado em dezembro, valor acima dos R$ 1.022,26 por metro quadrado estimados em novembro.

A parcela dos materiais teve ligeira alta de 0,01%, enquanto o custo da mão de obra ficou 1,02% mais caro em dezembro, após o aumento de 0,27% registrado em no mês anterior.

FOTO: Thinkstock



Apesar de a expectativa de queda da taxa de inflação ter ocorrido em todas as faixas de renda familiar, conforme levantamento do Ibre/FGV, o destaque ficou com as famílias com renda mensal superior a R$ 9,6 mi

comentários

O presidente também rebateu as críticas de que a agenda de reformas do governo federal estaria retirando direitos dos trabalhadores

comentários

Presidente afirmou que isso significa uma esperança e uma confiança para os investidores

comentários