São Paulo, 22 de Janeiro de 2017

/ Economia

Inflação medida pelo IPCA encerra o ano em 6,29%
Imprimir

O resultado está dentro do teto da meta de tolerância estipulada pelo governo, de 6,5%. Em dezembro, a alta foi de 0,30%

A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechou dezembro com alta de 0,30%, informou nesta quarta-feira (11/01) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

É o menor patamar para o mês desde 2008, quando teve alta de 0,28%. A inflação registrada no mês de dezembro de 2015 tinha sido de 0,96%.

O resultado ficou dentro do intervalo das estimativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que iam de uma taxa de 0,28% a 0,44%, com mediana de 0,35%.

A taxa acumulada pela inflação no ano de 2016 foi de 6,29%, resultado dentro do teto da meta de tolerância estipulada pelo governo, de 6,5%. As previsões iam de 6,26% a 6,40%, com mediana de 6,34%.

ALIMENTAÇÃO

Os alimentos voltaram a ficar mais caros no último mês do ano, após um período de trégua. O grupo Alimentação e bebidas teve alta de 0,08% em dezembro, ante recuo de 0,20% em novembro, segundo os dados do IPCA.

O movimento significa uma reversão na trajetória de contribuição do grupo para a taxa de inflação: de -0,05 ponto porcentual em novembro para 0,02 ponto porcentual em dezembro.

"Se olharmos em termos de contribuição e novembro para dezembro, dá um aumento de 0,07 ponto porcentual. Então alimentação puxou bem (o IPCA de dezembro)", avaliou Eulina Nunes dos Santos, coordenadora de Índices de Preços do IBGE.

A alimentação consumida em casa saiu de queda de 0,47% em novembro para recuo de 0,05% em dezembro. Ainda ficaram mais baratos no último mês itens como feijão-carioca (-13,77%) e leite longa vida (-3,97%). Entretanto, outros produtos importantes no orçamento das famílias tiveram aumento, como o arroz (0,21%), as carnes (0,77%) e as frutas (3,39%).

Em dezembro, a alimentação fora de casa manteve a mesma taxa de novembro, alta de 0,33%.

PREÇOS AO CONSUMIDOR

Segundo dados do IBGE, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) subiu 0,14% em dezembro, após ter registrado alta de 0,07% em novembro. 

Como resultado, o índice encerrou o ano de 2016 com uma elevação acumulada de 6,58%. O INPC mede a variação dos preços para as famílias com renda de um a cinco salários mínimos e chefiadas por assalariados.

Já o Índice Nacional da Construção Civil (INCC/Sinapi), variou 0,49% em dezembro, após uma alta de 0,10% em novembro, disse o IBGE. O índice acumulado no ano de 2016 foi de 6,64%.

De acordo com o instituto o custo nacional da construção alcançou R$ 1.027,30 por metro quadrado em dezembro, valor acima dos R$ 1.022,26 por metro quadrado estimados em novembro.

A parcela dos materiais teve ligeira alta de 0,01%, enquanto o custo da mão de obra ficou 1,02% mais caro em dezembro, após o aumento de 0,27% registrado em no mês anterior.

FOTO: Thinkstock



Heron do Carmo, economista e especialista em inflação, acredita que Brasil voltará a crescer em 2017

comentários

Apesar de o setor registrar na média uma deflação em dezembro ma comparação anual, houve alta de preços em 82 das 150 categorias monitoradas pelo Fipe Buscapé

comentários

Preços da educação vão contribuir para pressionar ainda mais o indicador, que deve terminar o primeiro mês do ano em 0,70%

comentários