São Paulo, 26 de Julho de 2017

/ Economia

Indústria de São Paulo reage, mas está longe do pico de produção
Imprimir

Segundo o IBGE, o parque industrial da capital paulista registrou expansão de 4,3% em maio deste ano na comparação com maio de 2016

O parque industrial de São Paulo, o maior do País, registrou um avanço de 2,5% na produção em maio ante abril, segundo os dados da Pesquisa Industrial Mensal divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)

O resultado sucede uma alta de 1,1% no mês anterior.

A indústria paulista, no entanto, está longe de uma trajetória de retomada, avaliou Rodrigo Lobo, analista da Coordenação de Indústria do IBGE. 

O parque industrial local ainda opera 22,6% abaixo do pico registrado em março de 2011.

"A indústria de São Paulo está 13,4% acima do ponto mais baixo de produção, alcançado em julho de 2003. Então a produção está mais próxima do ponto mais baixo do que do ponto mais alto da série histórica", apontou Lobo.

Na comparação com maio de 2016, a indústria de São Paulo teve expansão de 4,3%, o maior crescimento desde setembro de 2013, quando a expansão foi de 5,7%.

A atividade de veículos automotores teve um salto de 28,5%, mas o desempenho local também foi ajudado por máquinas e equipamentos, com avanço de 12,2%, e derivados de petróleo e biocombustíveis, com alta de 6,6%. 

"Mas São Paulo ainda está bastante longe de uma recuperação consistente. Houve melhora, mas no acumulado do ano a taxa ainda está negativa (-0,6%)", observou Lobo.

Na passagem de abril para maio, o avanço na produção industrial foi disseminado entre as regiões do País, alcançando 10 dos 14 locais pesquisados. Na comparação com maio de 2016, 10 dos 15 locais investigados aumentaram a produção.

IMAGEM: Thinkstock



Reunião realizada na ACSP debateu a necessidade de ampliar a atividade do porto de Santos nos períodos noturnos, quando o trânsito de veículos nas rodovias é menor

comentários

Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) atinge a marca nesta sexta-feira (21/07), às 10h30, 20 dias antes do que no ano passado

comentários

Apesar de indicadores positivos, para 71% dos entrevistados, a crise ainda afeta os negócios, constata pesquisa do Datafolha

comentários