São Paulo, 23 de Junho de 2017

/ Economia

Consumo de bens industriais cresce 2,6% em janeiro
Imprimir

De acordo com o Ipea, é o segundo resultado mensal positivo seguido, depois de um longo período de quedas

O consumo de bens industriais cresceu 2,6% em janeiro em relação ao mesmo mês de 2016, divulgou nesta-quarta (15/03) o Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea).

De acordo com o órgão, esse é o segundo resultado mensal positivo seguido, depois de um longo período de quedas na comparação interanual (mês contra o mesmo mês do ano anterior).

Em relação a dezembro, o indicador caiu 0,9%. Os números levam em conta os dados livres de efeitos sazonais, em que se desconsideram as oscilações típicas de determinadas épocas do ano.

O Ipea define o consumo aparente de bens industriais como a produção industrial doméstica, acrescidas as importações e abatidas as exportações.

Com o desempenho de janeiro, a queda do indicador acumulada em 12 meses desacelerou de 8,5% para 7%. No mesmo período, a produção industrial doméstica acumula recuo de 5,4%.

Nos 12 meses terminados em janeiro, as importações de bens industriais acumulam queda de 8,7%. As exportações registram alta de 5,4% no mesmo período.

SETORES

O setor da indústria de transformação registrou avanço de 2,9% e o da extrativa mineral recuou expressivos 8,1% entre janeiro do ano passado e janeiro deste ano.

Entre as atividades, 13 de um total de 22 registraram crescimento.

A maior expansão foi registrada na fabricação de coque, de produtos derivados do petróleo e de biocombustíveis (+9,8%) na comparação interanual.

FOTO: Thinkstock



Para o economista Arminio Fraga, ex-presidente do Banco Central, o governo pode ter de elevar impostos para conter o rombo nas contas públicas

comentários

De acordo com a análise da CNI, com a queda de 1,8 ponto, o índice fica ainda mais distante do nível necessário para a recuperação da economia

comentários

O empreendedor Guilherme Cerqueira (à dir.) e seu sócio estão entre os mais de 55 mil brasileiros que entregaram declaração de saída definitiva do país à Receita Federal

comentários