São Paulo, 03 de Dezembro de 2016

/ Blogs

Ser digital não é mais uma questão de quando -mas como
Imprimir

Cinco tendências que apontam onde a marca de sua empresa deve estar para ficar próxima e interagir com os consumidores

A consultoria de pesquisas Millward-Brown divulgou estudo que mostra os principais eixos que direcionarão a comunicação digital neste ano. Estar nas redes não é uma opção, mas uma questão de tempo para que as marcas – seja de qual porte forem – assumam uma presença ativa nas conversas online e, a partir delas, tornem-se mais sensíveis às demandas e transformações do mercado.

Conheça as principais tendências evidenciadas no documento:

1) Cada vez mais haverá dispositivos que permitirão a uma marca anunciar na televisão, por exemplo, e automaticamente programar o aparecimento de uma peça complementar nas redes sociais. Ou seja: o consumo multitela será progressivamente aproveitado pelas empresas alinhadas às mudanças no consumo de mídia;

2) As mídias sociais não se restringem ao Facebook, Twitter e Instagram. As conversas acontecem de maneira fragmentada, por outros aplicativos como Snapchat, WhatsApp, entre outros. Uma presença cada vez mais ampla nos meios e canais é essencial;

3) Ações de marketing serão direcionadas com mais frequência aos consumidores por meio de geolocalização, de maneira que sejam adaptáveis e sincronizadas com os hábitos de cada indivíduo, gerando possibilidade de maior personalização das comunicações dirigidas a clientes atuais e potenciais;

4) Os dispositivos móveis enriquecem experiências de compra ou outros contatos com as marcas no mundo real. QR codes, realidade aumentada e outros recursos serão cada vez mais usados para engajar os consumidores;

5) Não são apenas as mídias que são sociais; os negócios são sociais por inteiros. As marcas vivem em um ambiente de alta transparência, com cidadãos empoderados e em constantes diálogos. Quanto mais as empresas reconhecerem este contexto, melhor desempenho terão junto a seus públicos.

Parece difícil, mas é um contexto que não retrocederá. A sobrevivência das marcas está diretamente ligada capacidade de adaptação em um mercado de crescente complexidade. Conectar é preciso!

 



É curioso notar que a maioria dos entrevistados que manifestaram confiança no desempenho da economia não sabe explicar a razão das expectativas positivas

comentários

Nas lojas de móveis e decorações houve o pior desempenho no mês. A menor queda ocorreu no segmento de autopeças e acessórios, de acordo com a pesquisa AC Varejo

comentários

Nielsen pesquisou 400 mil lojas do pequeno varejo que, respondem por 58% do faturamento total dos canais de venda no país

comentários