Blogs

Que tipo de inovação o mundo pede?


Pesquisa global destrincha os fundamentos das novidades aceitas pelos cidadãos


  Por O que vem por aí 09 de Outubro de 2015 às 22:24

  | O jornalista Rodolfo Araújo, diretor de Conhecimento e Pesquisa da Edelman Significa, decifra as tendências que irão marcar o mundo dos negócios


Uber e Airbnb são algumas das grandes inovações que não apenas evoluíram a oferta de um serviço ou produto, mas romperam paradigmas de mercado aparentemente inatingíveis.

Ainda assim, não é fácil para uma marca dessa natureza conquistar rapidamente a confiança das pessoas. E, neste sentido, aparecem diversas pistas que não apenas as startups devem seguir, como corporações de todos os portes.

A pesquisa Earned Brand, desenvolvida pela agência global de comunicação Edelman em dez países junto a 10 mil pessoas, procurou revelar os principais aspectos que pautam a relação entre pessoas e inovações. Quando se olham os dados brasileiros, três pontos saltam aos olhos:

1. As pessoas veem as inovações com bons olhos e as empresas são o celeiro:

Para 97% dos entrevistados, as inovações contribuem para o avanço da sociedade, enquanto 81% concordam que elas expandem o universo de possibilidades do ser humano em vários níveis – da capacidade criativa à qualidade de vida.  Quando questionados sobre a principal fonte de onde esperam a criação de inovações, 80% apontaram as empresas, enquanto 44% citaram o meio acadêmico e 30% mencionaram os indivíduos.

2. As pessoas querem ser tranquilizadas mais que inspiradas:

 O estudo mostra que duas entre três pessoas, ao pensarem em inovações, prestam atenção aos riscos trazidos – e não ao componente de inspiração que a elas é inato. Entre os aspectos que mais figuram entre os medos listados estão segurança de dados, privacidade, danos ao meio ambiente e a necessidade de hiperconexão, ou seja, de estarmos online o tempo todo para nos mantermos atualizados.

3. Comunicar não basta; o comportamento é essencial:

Consumidores com mais poder de escolha e melhor informados serão, naturalmente, mais questionadores. Por mais inovadora que seja uma oferta, todos prestarão atenção também ao comportamento da empresa responsável por ela. Por isso, ética, propósito e transparência são tão importantes quanto o produto ou serviço.

Conheça aqui  os resultados completos da pesquisa Earned Brand.