São Paulo, 28 de Maio de 2017

/ Blogs

Papa lamenta ataque que matou 39 na Turquia
Imprimir

O atentado terrorista teve como cenário o réveillon na boate Reina, no bairro de Besiktas, e deixou 69 feridos, dos quais quatro em estado grave

Em seu primeiro Angelus de 2017, o papa Francisco lamentou neste domingo (1º/17) o atentado em uma casa noturna de Istambul, na Turquia, que deixou 39 pessoas mortas, entre elas 15 cidadãos estrangeiros.

No pronunciamento, o líder da Igreja Católica, que no passado se envolvera em uma crise diplomática com Ancara ao reconhecer o genocídio armênio, garantiu seu apoio a "todos os de boa vontade que se esforçam contra o terrorismo".

"Infelizmente, a violência agiu também nessa noite de esperança. Com dor, estou próximo ao povo turco", disse.

O ataque foi realizado na boate Reina, no bairro de Besiktas, e também deixou 69 feridos, dos quais quatro em estado grave.

Situada no lado europeu de Istambul e às margens do Bósforo, é um dos locais mais procurados pela juventude de classe alta turca, além de turistas e celebridades. Cerca de 700 pessoas estavam no local na hora do ataque.

Segundo o governador de Istambul, cerca de 40 pessoas continuam internadas em hospitais da região.

Muitas pessoas que celebravam o Ano Novo se atiraram no Bósforo, em pânico, depois do ataque, e esforços foram mobilizados para resgatá-las das águas, acrescentou a emissora NTV. Entre as vítimas, 16 estrangeiros.

O atirador, vestido de Papai Noel, abriu fogo contra as pessoas que se encontravam na entrada da casa noturna exatamente à 1h e 15 minutos da madrugada, hora local, neste 1° de janeiro de 2017. O ministro do Interior da Turquia afirmou que os terroristas ainda estão sendo procurado pela polícia.

Os terroristas - ou o terrorista - mataram primeiro o segurança da boate e depois dispararam a esmo no público.

Para escapar, muitas pessoas pularam nas águas geladas do Estreito de Bósforo. As forças de segurança da Turquia mobilizaram 17 mil agentes para capturar os responsáveis pelo ataque.

"Estão tentando criar caos, desmoralizar o nosso povo, desestabilizar o nosso país com ataques abomináveis contra civis. Manteremos o sangue frio como nação e permaneceremos mais unidos do que nunca", declarou o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan.

É difícil imaginar um crime mais cínico do que matar pessoas inocentes durante a festa de Ano Novo", disse. Em dezembro, o embaixador de Moscou na Turquia, Andrei Karlov, foi morto em um atentado em Ancara.

LEIA MAIS: Como o terror já muda as rotinas de europeus

O país tem sido alvo frequente de ataques terroristas por conta de seu envolvimento na guerra civil da Síria, onde tem aproveitado as operações contra o Estado Islâmico para bombardear posições curdas.



Ele também abençoou os esforços de quem, especialmente na América Latina, se compromete a favor do bem comum das sociedades

comentários

Nesta noite, o papa Francisco preside ainda a Via Sacra no Coliseu, em Roma

comentários

De cada cem italianos, 75 pensam em cancelar suas viagens de fim de ano devido às ameaças de atentados

comentários