São Paulo, 03 de Dezembro de 2016

/ Blogs

Apenas 0,1% das empresas brasileiras tem mais de 100 anos
Imprimir

Rogério Amato, em sessão plenária pelos 120 anos da ACSP, disse que entidade que preside reconhece nas companhias mais antigas apego à livre iniciativa; queima de fogos encerrou festejos

No Brasil existem 14,5 milhões de empresas. Entre elas, apenas 190, ou pouco mais de 0,01%, chegaram aos 100 anos de atividade. Crises, revoluções, mudanças na Constituição e trocas de moedas colidiram com esse grupo bem minoritário de companhias. Mesmo assim, e se elas resistiram, é porque foram movidas pela liberdade de empreender.

Foi o que disse nesta segunda-feira (8/12) Rogério Amato, presidente da ACSP (Associação Comercial de São Paulo) e da Facesp (Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo). Afirmou que esses e outros empresários mais recentes contaram com as duas entidades que ele preside e com elas compartilharam os valores fundamentados de liberdade.

Amato abriu a reunião plenária que marcou as comemorações do aniversário de 120 anos da ACSP. “Se nossa casa chegou até aqui é porque reverenciamos a herança moral dos nossos fundadores, que pode ser resumida como sendo a luta pela livre iniciativa”, afirmou.    

Essa herança foi personificada na plenária pela presença do empresário Eduardo Rodovalho, trineto do homem que em 1894 fundou a ACSP, Antônio Proost Rodovalho. Seus ideais encontraram eco em empresas que há mais de 100 anos estão associadas à entidade, como Casas Pernambucanas (associada dede 1918), Casa da Bóia (1919), o Banco Ítalo-Belga, hoje Mizuho (1918), e a White Martins (1920), que também marcaram presença na reunião por meio de representantes.

Durante o encontro, ex-presidentes da entidade, o empresário Alencar Burti e o ministro das Micro e Pequenas Empresas, Guilherme Afif Domingos, lembraram que a ACSP passa agora por um momento de reformulação e modernização, com o intuito de atrair novas gerações de empreendedores, para que estes continuem a colocar em prática os ideais dos fundadores.

Para a comemoração, a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos colocou em circulação um selo e um carimbo marcando os 120 anos ACSP. Todas as correspondências enviadas pela agência central, no vale do Anhangabaú, em São Paulo,  trarão o selo festivo. Um livro com a história da entidade também foi impresso e começou a ser distribuído, para celebrar a data. 

Após a plenária foi realizada uma missa na capela do Pátio do Colégio. A noite de celebrações terminou com a inauguração das luzes de Natal do Pátio do Colégio e do prédio da ACSP, localizado diante do marco histórico paulistano, na rua Boa Vista.

  



Recuperação depende de uma evolução positiva do cenário político e da realização de um ajuste fiscal efetivo

comentários

Nas lojas de móveis e decorações houve o pior desempenho no mês. A menor queda ocorreu no segmento de autopeças e acessórios, de acordo com a pesquisa AC Varejo

comentários

Após três meses de alta, Índice Nacional de Confiança da Associação Comercial de São Paulo para de crescer em novembro. "O consumidor está tentando ajustar seu orçamento", diz Alencar Burti, presidente da ACSP (foto)

comentários